CV co-occurrence and articulatory control in three Brazilian children from 0:06 to 1:07

Autores

  • Mariana Hungria Universidade Estadual de Campinas
  • Eleonora Cavalcante Albano Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.47627/gradus.v1i1.104

Palavras-chave:

co-ocorrência CV, consoantes laríngeas, bucalização

Resumo

Muitos estudos em aquisição da linguagem abordam a co-ocorrência consoante/vogal, doravante CV. Perspectivas tradicionais enfocam o trato vocal superior, enquanto uma mais recente destaca a importância do seu segmento inferior. Porém, nenhuma tentou entender como esses dois tratos interagem e cooperam na vocalização dos bebês. O papel do ambiente linguístico nessa interação também é pouco estudado. O objetivo deste artigo é integrar tais perspectivas, aparentemente contraditórias, através da observação da articulação em todo o trato vocal durante a emergência das combinações CV em três crianças brasileiras interagindo com seus pais entre as idades de 0:06 e 1:07. Utilizamos uma combinação dos métodos longitudinal e transversal, de modo que uma criança foi seguida longitudinalmente enquanto as outras duas foram observadas em estágios posteriores, complementares. Os dados foram coletados com um gravador digital, transcritos com o auxílio de software de análise acústica e posteriormente processados com um contador de sílabas. Os resultados revelaram as seguintes tendências: restrições biomecânicas interagem com as inluências da língua ambiente; o controle sobre as articulações é diferente para consoantes; bebês tendem a favorecer vogais especíicas; o trato vocal inferior permanece ativo após 12 meses; e nem todas as crianças adquirem controle articulatório da mesma forma. O conjunto desses fatos não confirma uma perspectiva especíica, mas, ao contrário, demanda uma integração de várias linhas na literatura.

Downloads

Publicado

2016-12-30 — Atualizado em 2020-10-08

Versões

Como Citar

HUNGRIA, M.; ALBANO, E. C. CV co-occurrence and articulatory control in three Brazilian children from 0:06 to 1:07. Gradus - Revista Brasileira de Fonologia de Laboratório, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 67-95, 2020. DOI: 10.47627/gradus.v1i1.104. Disponível em: https://gradusjournal.com/index.php/gradus/article/view/104. Acesso em: 18 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos