Explorando a possibilidade de atrito linguístico

Uma análise acústica da produção da vogal átona final /e/ na variedade Porto-Alegrense do Português Brasileiro

  • Bruna da Rosa de los Santos Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Ubiratã Kickhöfel Alves Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: atrito linguístico, vogal átona final /e/, bilíngues Português/Espanhol

Resumo

Neste artigo, com o propósito de investigar efeitos de atrito linguístico, entre porto-alegrenses aprendizes de Espanhol como Segunda Língua (L2), analisamos a produção da vogal átona final /e/ em ambas as línguas desses aprendizes, verificando, mais especificamente, seus padrões acústicos (que dizem respeito à altura e anterioridade da língua, bem como os valores de duração absoluta e relativa) em comparação à produção de monolíngues de Espanhol (variedade de Montevidéu/Uruguai) e de Português (variedade de Porto Alegre/Brasil). Em nossas hipóteses prevíamos: (i) diferenças significativas nos valores das frequências formânticas (F1 e F2) e no padrão duracional das produções da vogal átona final /e/ entre as línguas dos bilíngues (Português/L1 e Espanhol/L2); (ii) diferenças não significativas entre a vogal átona final /e/ do Espanhol produzida pelos bilíngues e a produzida pelos monolíngues de Espanhol; e (iii) diferenças significativas nas frequências formânticas (F1 e F2) e no padrão duracional entre a vogal átona final /e/ do PB produzida pelos bilíngues e a sua contraparte produzida pelos monolíngues de PB. Os dados de fala foram obtidos através de Tarefas de Leitura (leitura de frases-veículo). Os resultados indicaram que os bilíngues distinguem, em suas produções, a vogal átona final /e/ entre a L1 (Português) e a L2 (Espanhol), embora não tenham desenvolvido o padrão nativo de altura e anterioridade/posterioridade na L2. Em relação à L1, as produções vocálicas dos bilíngues não se diferenciam significativamente das dos monolíngues de PB. Entretanto, individualmente, alguns bilíngues apontam para sinais de atrito linguístico em altura e anterioridade/posterioridade vocálica.

Publicado
2018-07-31
Como Citar
DE LOS SANTOS, B.; ALVES, U. Explorando a possibilidade de atrito linguístico. Gradus - Revista Brasileira de Fonologia de Laboratório, v. 3, n. 1, p. 14-41, 31 jul. 2018.
Seção
Artigos