Estudo acústico sobre a dupla marcação de plural em adjetivos derivados em -oso(s) no português brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47627/gradus.v4i2.145

Palavras-chave:

adjetivos derivados em -oso(s), metafonia, dupla marcação de plural, fonologia de uso

Resumo

Este artigo apresenta um estudo acústico sobre a dupla
marcac?a?o de plural em adjetivos derivados em *--osos* no portugue?s
brasileiro, observando possi?veis comportamentos metafo?nicos,
compreendidos como a alterac?a?o de timbre da vogal to?nica induzida pela
vogal postônica. Um experimento de produção com quatro condições de
teste foi realizado, duas com os adjetivos introduzidos em sintagmas
nominais objeto e duas com os adjetivos inseridos em sintagmas nominais
sujeito. Foram coletados dados de fala de quatro participantes do sexo
feminino de dois municípios do Estado de Sa?o Paulo. Com base na
Fonologia de Uso e na Teoria de Exemplares, observou-se que o fenômeno
metafônico se apresentou em maior número na primeira condição de teste,
na qual as palavras-alvo foram apresentadas pela primeira vez às
participantes. Nesta situação, a frequência de tipo tornou-se mais
significativa do que a própria frequência de ocorrência, uma vez que o
padrão no singular é o mais recorrente. Os resultados mostraram que a
dupla marcação de plural foi produzida em 75,52% das emisso?es. A
metafonia foi encontrada em 8,86% dos dados. Pelas análises acústicas,
em 14,58% das produções, foram verificadas vogais com qualidade
intermedia?ria entre a vogal aberta e a fechada, destacando o caráter
gradiente na produção das vogais, caro aos estudos baseados no uso. Por
fim, os resultados ainda mostraram que as mudanças sonoras foneticamente
motivadas, como a redução ou apagamento da vogal postônica [?], bem
como as mudanças sem motivação fonética, como a analogia ao tipo mais
frequente, atingiram tanto as palavras pouco frequentes quanto as muito
frequentes estabelecidas para o presente estudo.

Biografia do Autor

Mariane Garin Belando, Universidade Federal de Santa Catarina

Licenciada em Letras - Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa - pela Universidade Federal de Santa Catarina (2015). Mestra em Linguística pela mesma IES (2017). Atualmente é doutoranda, também pela UFSC, com pesquisas nas áreas de Fonética e Fonologia do português, do espanhol e do inglês, sobretudo em relação ao comportamento das estruturas silábicas.

Izabel Christine Seara, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora Associada IV da Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre (1994) e Doutora em Linguística (2000) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Tem Pós-Doutorado pela Université Paris 3 - Sorbonne Nouvelle (Paris-França), realizado no Laboratoire de Phonétique et Phonologie (2012) e pela Universidade de Aveiro, realizada no Laboratório de Fonética (2019). Atua na Graduação em Letras - Português e no Programa de Pós Graduação em Linguística na área: Teoria e Análise Linguística (Linha de Pesquisa: Fonética e Fonologia das Línguas Naturais), no qual orienta trabalhos em nível de mestrado, doutorado e iniciação científica. Coordenou o GT de Fonética e Fonologia da ANPOLL (2012-2014). Supervisora do Laboratório de Fonética Aplicada (FONAPLI) do Departamento de Língua e Literatura Vernáculas da UFSC (desde 2006). Participa de dois projetos internacionais: Atlas Multimídia Prosódico do Espaço Românico-Língua Portuguesa (AMPER-POR), desde 2009, e do Projeto Interphonologie du Français Contemporain (IPFC), desde 2012. Além desses projetos, desenvolve os projetos: A variedade dialetal florianopolitana: análises segmentais e suprassegmentais e Análise acústica, aerodinâmica e articulatória da fala. Temas de pesquisa: entoação - prosódia e suas interfaces, detalhamento acústico-aerodinâmico-articulatório de segmentos de fala, síntese e reconhecimento de fala e interfonologia francês/português brasileiro, línguas indígenas.

Ana Lívia Agostinho, Universidade Federal de Santa Catarina

É professora da área de Linguística no Departamento de Língua e Literatura Vernáculas da Universidade Federal de Santa Catarina e do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFSC na área Teoria e Análise Linguística - Linhas de Pesquisa: Fonética e Fonologia das Línguas Naturais e Contato Variação e Mudança. Possui graduação em Letras - Linguística - USP - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (2008) e doutorado em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (2014). É Secretária-Geral da Associação Brasileira de Estudos do Contato Linguístico (ABECS) e membro do Laboratório de Fonética Aplicada da UFSC (FONAPLI) e do Projeto Varsul-UFSC. Atua principalmente nos seguintes temas: fonologia, línguas crioulas, contato linguístico, descrição linguística, metodologia de trabalho de campo, fonologia do português brasileiro, planejamento e política linguística em São Tomé e Príncipe.

Downloads

Publicado

2020-01-03

Como Citar

BELANDO, M. G.; SEARA, I. C.; AGOSTINHO, A. L. Estudo acústico sobre a dupla marcação de plural em adjetivos derivados em -oso(s) no português brasileiro. Gradus - Revista Brasileira de Fonologia de Laboratório, Curitiba, v. 4, n. 2, p. 32-58, 2020. DOI: 10.47627/gradus.v4i2.145. Disponível em: https://gradusjournal.com/index.php/gradus/article/view/145. Acesso em: 27 nov. 2020.

Edição

Seção

Artigos