Uma introdução à Ciência Aberta e ao compartilhamento de dados científicos de pesquisa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47627/gradus.v5i2.165

Palavras-chave:

Ciência aberta, Dados científicos de pesquisa, Compartilhamento de dados, Reuso de dados, Repositório de dados

Resumo

A Ciência Aberta é definida como um ecossistema que abriga os diversos movi- mentos em torno do acesso aberto à informação científica. Os dados científicos são a unidade nuclear básica que suporta as descobertas científicas. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho é situar os dados científicos de pesquisa no contexto da Ciência Aberta, apresentando as definições de dados, compartilhamento e reuso de dados científicos. O trabalho apresenta um apanhado sobre os desafios quanto à gestão dos dados científicos, à tipologia de dados e às vantagens do comparti- lhamento e reuso. Apresenta os desafios computacionais para a construção de repositórios de dados de pesquisa. Conclui-se que a diversidade, a tipologia e o volume de dados representam os grandes desafios na implantação dos repositó- rios e indicam-se diretórios de pesquisa de repositórios de dados disciplinares e multidisciplinares.

Biografia do Autor

Karolayne Lima, Universidade Federal do Paraná

Mestre em Gestão da Informação pelo Programa de Pós-graduação em Gestão da Informação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Graduada em Biblioteconomia com habilitação em Gestão da Informação pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente é bibliotecária da Universidade Federal do Paraná, atuando no serviço de referência da Biblioteca de Artes, Comunicação e Design. Possui experiência na área de acesso aberto à informação científica, repositórios digitais, editoração de revistas científicas, dados científicos de pesquisa e repositório de dados.

Marcos Sunye, Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Exatas. Departamento de Informática

Possui graduação em Processamento de Dados pela Universidade Federal do Paraná (1986), mestrado em Engenharia de Software pela Universite de Nice (1987) e doutorado em Banco de dados pela Université de Bourgogne (1993). Realizou Pós Doutorado no Laboratório de Informática de Paris VI (LIP6) da Université Paris VI (Jussieu) em 2006/2007. Atualmente é professor Titular da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Banco de Dados, atuando principalmente nos seguintes temas: banco de dados, integracao,análise de desempenho e bibliotecas digitais. Liderou o departamento de informática nos anos de 1998, 1999 e de 2003 até 2006. Foi Diretor do Centro de Computação Eletrônica da UFPR de 2000 até 2003. Foi fundador e diretor geral do Centro de Computação Cientifica e Software Livre (C3SL) de 2003 até 2006. Participou da implantação da área de Computação Cientifica na Universidade Federal do Paraná junto a Finep/CTINFRA que implantou o primeiro super computador do estado do Paraná. É um dos líderes da área de Bibliotecas junto do projeto CT-INFRA/Finep. Coordenou o projeto Paraná Digital que especificou desenvolveu e implantou 2100 laboratórios de informática em escolas publicas do Paraná de 2003 até 2005. É um dos responsáveis pela criação da biblioteca digital da UFPR que reune 62 revistas eletrônicas, todas as teses e dissertaçoes desde 2004, além de outros conteúdos gerados pela UFPR. Foi membro da Comissão de Sistemas de Informação e Telecomunicações do Estado Do Paraná. Foi presidente do Comite Gestor da rede COMEP, projeto da RNP de implantação de fibras oticas na regiao metropolitana de Curitiba de 2007 até 2014. Coordena o projeto Inclusão Digital Integrada em parceria com o Ministério das Comunicações. O Sistema Integrado de Monitoramento desenvolvido no âmbito deste projeto recebeu o Prêmio Boas Práticas, da Coordenadoria Geral da União em 2015 como melhor site de Transparência Ativa do Governo Federal. Foi membro do Conselho de Ensino e Pesquisa da UFPR. Foi coordenador da Pós Graduação em Informática de 2008 até 2010. Está na direção do Setor de Ciencias Exatas desde 2013 e é membro do Conselho Universitário da UFPR.

Referências

Albagli, Sarita, Maria Lucia Maciel e Alexandre Hannud Abdo, editores (2015). Ciência aberta, questões abertas. Brasília: IBICT. ISBN: 9788570131096. URL: http://livroaberto.ibict.br/handle/1/1060.

Borgman, Christine L. (2012). “The conundrum of sharing research data”. Journal of the American Society for Information Science and Technology 63.6, pp. 1059–1078. DOI: 10.1002/asi.22634.

Bueno de la Fuente, Gema (2016). Challenges and strategies for the success of open science. URL: https://www.fosteropenscience.eu/node/1424.

Frederick, Donna Ellen (2016). “Data, open science and libraries: the data deluge column”. Library HiTech News 33.8, pp. 11–16. DOI: 10.1108/LHTN-09-2016-0040.

Hey, Tony, Stewart Tansley e Kristin Tolle, editores (2009). The fourth paradigm: data-intensive scientific discovery. Redmond: Microsoft Corporation. ISBN: 9780982544204.

de Lima, Karolayne Costa Rodrigues (2020). “Impacto percebido pelos pesquisadores quanto ao reuso de dados científicos de pesquisa em repositório de dados brasileiros”. Dissertação de mestrado. Curitiba: Universidade Federal do Paraná. URL: https://www.prppg.ufpr.br/siga/visitante/trabalhoConclusaoWS?idpessoal=64041&idprograma=40001016058P1&anobase=2020&idtc=50.

Murray-Rust, Peter, Cameron Neylon, Rufus Pollock e John Wilbanks (2010). Panton principles: principles for open data in science. URL: https://pantonprinciples.org/.

de Oliveira, Adriana Carla Silva e Edilene Maria da Silva (2016). “Ciência aberta: dimensões para um novo fazer científico”. Informação & Informação 21.2, pp. 5–39. DOI: 10.5433/1981-8920.2016v21n2p5.

Rios, Fahima, Elaine Oliveira Lucas e Igor Soares Amorim (2019). “Manifestos do movimento de acesso aberto: análise de domínio a partir de periódicos brasileiros”. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação 15.1, pp. 148–169.

Schembera, Björn e Juan M. Durán (2020). “Dark data as the new challenge for big data science and the introduction of the scientific data officer”. Philosophy & Technology 33.1, pp. 93–115. DOI: 10.1007/s13347-019-00346-x.

Setenareski, Ligia E., Walter Shima e Marcos S. Sunye (2020). A dinâmica competitiva do mercado mundial de publicações científicas: tendências e alternativas do acesso aberto. Curitiba: Appris. ISBN: 9788547334963.

da Silva, Fabiano Couto Corrêa (2019). Gestão de dados científicos. Rio de Janeiro: Interciência. ISBN: 9788571934351.

Stallman, Richard M. (2004). Software libre para una sociedad libre. URL: https://www.gnu.org/philosophy/fsfs/free_software.es.pdf.

Sunye, Marcos, Ligia E. Setenareski, Fabiano Couto Corrêa da Silva, Edson Ramiro e Lucio Foltran (2009). “A experiência da UFPR na construção de repositórios digitais, a implantação integrada das ferramentas DSpace, Open Journal System”. In: Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Editado por Luis Sayão, Lídia Brandão Toutain, Flavia Garcia Rosa e Carlos Henrique Marcondes. Salvador: EDUFBA, pp. 107–122. ISBN: 9788523206550.

Tenopir, Carol, Suzie Allard, Kimberly Douglass, Arsev Umur Aydinoglu, Lei Wu, Eleanor Read, Maribeth Manoff e Mike Frame (2011). “Data sharing by scientists: practices and perceptions”. PloS one 6.6, e21101. DOI: 10.1371/journal.pone.0021101.

Wilkinson, Mark D. et al. (2016). “The FAIR guiding principles for scientific data management and stewardship”. Scientific Data 3.1, pp. 1–9. DOI: 10.1038/sdata.2016.18.

Downloads

Publicado

2020-12-23

Como Citar

COSTA RODRIGUES DE LIMA, K.; SFAIR SUNYE, M. Uma introdução à Ciência Aberta e ao compartilhamento de dados científicos de pesquisa. Gradus - Revista Brasileira de Fonologia de Laboratório, Curitiba, v. 5, n. 2, 2020. DOI: 10.47627/gradus.v5i2.165. Disponível em: https://gradusjournal.com/index.php/gradus/article/view/165. Acesso em: 19 jan. 2021.

Edição

Seção

Debates